Padre Paulo Ricardo corrige heresia do vocalista da banda Rosa de Saron

Relacionados aos seus interesses

9 comentários

  1. Padre Paulo, adimiro muito seu trabalho por ser coerente tanto com a palavra quanto com a Igreja, porém algumas considerações devem ser colocadas. Antes da critica, acho que pelo serviço de evangelização que o Guilherme presta a Igreja, deve ser respeitado e o mesmo corrigido no amor e não exposto ao ridiculo, como me pareceu o intuito deste post. Outro ponto que deve ser destacado a respeito deste programa é a postura do Padre fábio que se manifestou a favor deste e de outros assuntos piores. Sua postura de padre deve ser de pregar valores católicos e ele se omitiu a isso. Porém vemos que o problema da igreja não é ignorância ou heresia é comodismo. Através deste post parece que voltamos ao tempo da santa inquisição.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Serviço de evangelização? que serviço ? Rosa de Saron deixou de ser uma banda católica a muito tempo !! Além disso o vídeo acima não é do padre Paulo Ricardo é uma montagem do momento do programa com a resposta dele em seu programa e não vi nada de mais na resposta, é o mesmo modo que ele fala no Parresía e no resposta católica não sei se voce ja assistiu algum . Agora se ele presta um serviço de "evangelização" deve ser corrigido ! Voce tem razao em falar da postura de Pe. Fábio de Melo mas isso não justifica! E de maneira alguma voltamos para a inquisiçao apenas precisamos deixar claro certas coisas !

      Excluir
    2. Prezado Jair, já assisti sim a vários programas tanto Parresía quanto resposta católica. Inclusive sou a favor da correta pregação dos valores católicos. O que não concordei foi com a postura da resposta. O Santo evangelho diz: “Mateus 18,15 Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, ganhaste a teu irmão;16 Mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada.17 E, se não as escutar, dize-o à igreja; e, se também não escutar a igreja, considera-o como um gentio e publicano.”
      O Padre Paulo não buscou corrigir primeiramente ao Guilherme, se é que o corrigiu.
      Outro ponto não citado pelo Padre, o que é bem cômodo às vezes, o próprio catecismo da igreja ensina, aqueles que não conhecem ao evangelho de Cristo por ignorância, podem sim encontrar a salvação fora da igreja. Devemos simplesmente semear o amor de Cristo no nosso coração, pois ele não julgava os corações, simplesmente os transformava por amor. Como diz Papa Francisco estamos nos transformando em verdadeiras alfândegas pastorais, a todo instante julgando as atitudes de nossos irmãos e decidindo quem é santo ou não.
      FORA DA IGREJA NÃO HÁ SALVAÇÃO(Catecismo da igreja Católica)

      846. Como deve entender-se esta afirmação, tantas vezes repetida pelos Padres da Igreja? Formulada de modo positivo, significa que toda a salvação vem de Cristo-Cabeça pela Igreja que é o seu Corpo:

      O santo Concílio «ensina, apoiado na Sagrada Escritura e na Tradição, que esta Igreja, peregrina na terra, é necessária à salvação. De facto, só Cristo é mediador e caminho de salvação. Ora, Ele torna-Se-nos presente no seu Corpo, que é a Igreja. Ao afirmar-nos expressamente a necessidade da fé e do Baptismo, Cristo confirma-nos, ao mesmo tempo, a necessidade da própria Igreja, na qual os homens entram pela porta do Baptismo. É por isso que não se podem salvar aqueles que, não ignorando que Deus, por Jesus Cristo, fundou a Igreja Católica como necessária, se recusam a entrar nela ou a nela perseverar» (341).

      847. Esta afirmação não visa aqueles que, sem culpa da sua parte, ignoram Cristo e a sua igreja:

      «Com efeito, também podem conseguir a salvação eterna aqueles que, ignorando sem culpa o Evangelho de Cristo e a sua Igreja, no entanto procuram Deus com um coração sincero e se esforçam, sob o influxo da graça, por cumprir a sua vontade conhecida através do que a consciência lhes dita» (342).

      848. «Muito embora Deus possa, por caminhos só d'Ele conhecidos, trazer à fé, «sem a qual é impossível agradar a Deus» (343), homens que, sem culpa sua, ignoram o Evangelho, a Igreja tem o dever e, ao mesmo tempo, o direito sagrado, de evangelizar» (344) todos os homens.
      Que Deus nos conceda a paz e sabedoria para não julgarmos nossos irmãos, pois só Deus sonda os corações. Pois com a mesma medida que julgar-mos seremos nós também julgados.

      Excluir
  2. Padre Paulo não concordo com a maneira que o Senhor expôs a situação... na minha humilde opinião de leigo creio que o Senhor como Padre e líder religioso não deveria ir a público desta forma ainda por cima de forma tão dura contra o Vocalista da banda e sim procurar fazer de uma forma que ele por conta própria corrigisse a sua conduta "ou não" afinal de contas é direito do ser humano o livre arbítrio inclusive na maneira de pensar. (Fica a Dica)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Irmão Rodrigo,o Pe. Paulo Ricardo não foi duro,porém não foi omisso,como o outro padre que ouviu e não corrigiu o erro.Leia João 10,1-10 em especial este trecho"...cada pastor chega, chama as suas ovelhas e elas vêm, porque conhecem a voz do seu pastor. As demais ficam no redil, porque não atendem a voz de estranhos.",se ele não aceita o que o Papa e o Magistério da Igreja ensina,é porque ele não reconhece a "voz"então,não faz parte do redil.A Igreja não é uma democracia,ele é servil,sob o comando do Sucessor de Pedro,escolhido pelo próprio Espirito Santo,acreditando nas palavras dos Senhor Jesus, que diz"tudo que desligares..." Mt 16,17-18.Logo quem é contra o Papa e o Magistério de forma consciente é sim herege. É uma verdade dura de ser ouvir mas,não deixa de ser verdade.

      Excluir
  3. Eu concordo com o senhor padre, inclusive como um cara que se apresenta como "cristão "me aparece num programa de Espiritas que busca em todo o momento distorcer o cristianismo, não tem conteúdo espiritual nenhum pra responder perguntas e fala uma besteira dessa , parem de ser artista e sejam primeiro servos de valor , procurem ler a bíblia e o catecismo da nossa igreja , eu era evangélico e agora sei porque os protestantes acusam tanto a nós , por conta desses tipos de católicos que vivem em cima do muro e eu gostava dessa banda.

    Resumindo sejam mais cristão e menos artista, a palavra diz que o inimigo se aproxima com sapatinhos de algodão, vamos ficar mais espertos.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Trechos do livro “Sobre o céu e a terra”, registro de diálogos entre o então cardeal Jorge Bergoglio (futuro papa Francisco) e um de seus grandes amigos, o rabino Abraham Skorka:

    “BERGOGLIO - Quando me encontro com pessoas ateias compartilho com elas as questões humanas, mas não toco de cara no problema de Deus, exceto no caso de falarem comigo sobre o assunto. Quando isso acontece, eu lhes conto por que acredito. O humano é tão rico para compartilhar, para trabalhar, que tranquilamente podemos complementar mutuamente nossas riquezas. Como sou crente, sei que essas riquezas são um dom de Deus. Também sei que o outro, o ateu, não sabe disso. Não encaro a relação para fazer proselitismo com um ateu, eu o respeito e me mostro como sou. Na medida em que haja conhecimento, aparecem o apreço, o afeto, a amizade. Não tenho nenhum tipo de reticência, não diria que sua vida está condenada porque tenho certeza de que não tenho direito de julgar a honestidade dessa pessoa. Muito menos quando me mostra virturdes humanas, essas que engrandecem as pessoas e me fazem bem.” (p. 23).

    “BERGOGLIO - Deus se faz sentir no coração de cada pessoa. Também respeita a cultura dos povos. Cada povo vai captando essa visão de Deus, a traduz de acordo com a cultura que tem, e vai elaborando-a, purificando-a, dando-lhe um sistema. Algumas culturas são mais primitivas em suas explicitações. Mas Deus se abre a todos os povos, chama todos, provoca a todos para que o busquem e o descubram por meio da criação.”
    “SKORKA - Como é posssível que haja gente que fala mal de outros que praticam outra religiosidade se esta é sincera ou procura aproximar os homens de Deus? Aqueles que se colocam como conhecedores da verdade absoluta, julgando com displicência as ações dos outros, costumam praticar – com freqüência – um credo ignominosamente pagão.”
    (p. 28/29).

    “BERGOGLIO - Hoje, os padres já não usam batina. Mas um sacerdote recém-ordenado usava, e alguns padres o criticavam. Então, ele perguntou a um sacerdote sábio: “É errado eu usar batina?”. O sábio lhe respondeu: “O problema não é que a use, mas que a arregace quanto a tiver que arregaçar para trabalhar pelos outros”. (p. 31).

    (FRANCISCO, Papa. Sobre o céu e a terra / Jorge Bergoglio, Abraham Skorka. São Paulo: Paralela, 2013).

    ResponderExcluir
  6. BANDO DE COVARDE QUEM SE POSICIONA CONTRA PE. PAULO RICARDO. UM DOS POUCOS PADRES QUE DEFENDEM A IGREJA CATÓLICA. SE O CANTOR MUNDANO DO ROSA FALOU NA MÍDIA, CERTO ESTÁ O PE. PAULO DE CORRIGI-LO TBÉM NA MÍDIA. AGORA PE. FÁBIO, É PADRE DOS DODÓIS ONDE ARRUMA SOLUÇÃO PRA TUDO! ELE CONCORDANDO OU NÃO COM O MÚSICO, PRA MIM NEM CHEIRA E NEM FEDE!

    ResponderExcluir