O ocultamento do Tratado da Verdadeira Devoção e o ocultamento do Terceiro Segredo de Fátima



S. Luis Maria Grignion de Montfort

S. Luis Maria Grignion de Montfort, basílica de S. Pedro, Roma. Nessa inspirada e sugestiva escultura, o demônio é mostrado com o Tratado em suas mãos, na inútil tentativa de ocultá-lo Como vemos, os desígnios de Deus são claros e muito simples: O Reino de Cristo se estabelece pelo Reino de Maria e o Reino de Maria, pela propagação da Total Consagração à Santíssima Virgem, ensinada por S. Luis Maria de Montfort no Tratado da Verdadeira Devoção. Com isso em mente, compreende-se a razão que levou o Inimigo de Deus a ter tamanho ódio deste pequeno livro (o Tratado da Verdadeira Devoção) e a escondê-lo durante 130 anos (1712-1842), conforme o próprio santo previra. Também a partir desse contexto compreende-se o ocultamento do Terceiro Segredo, por parte da alta hierarquia da Igreja, desde que deveria ter sido revelado em 1960 por solicitação do Alto. Mas a hierarquia vendo-se pressionada —e, em alguns aspectos, seduzida pelas doutrinas dos fautores da Nova Ordem Mundial— resolveu apostar no aggiornamento e deixar a Barca de Pedro ser levada pelos ventos modernistas-progessistas do humanismo maçônico. E assim, como tantas vezes o povo hebreu cedera, os homens da Igreja de Cristo fizeram também ouvidos moucos ao mandato do Céu, anunciado pela voz profética das três frágeis crianças de além-mar. Desde então, a maioria dos representantes de Cristo na terra horizontalizou sua atenção para a temporariedade e a transitoriedade do mundo. Procurando agradar o homem lamentavelmente deixam de lado a seiva das milenares devoções e o inadiável apelo profético que implicam diretamente na salvação das almas. Salvação que é justamente confiada a estes mesmos homens da Igreja. Muitos deles tão ocupados com as coisas da terra que já não mais voltam seus olhares para as verdades do Céu. Enquanto isso, os fiéis católicos, mornos e apáticos em seu testemunho de Fé, já não mais se diferenciam em pensamento e conduta dos inimigos de Cristo. Eis a "relevância" aterrorizante da mensagem de Fátima, de acordo com Bento XVI. Mas, ainda assim, a última palavra na história é a bondade de Deus. Para ser louvado com um espírito de penitência e de conversão. 


 Fonte: A estreita relação profética entre Fátima e o Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Perfeita Devoção | A PERFEITA DEVOÇÃO http://www.perfeitadevocao.org/APerfeitaDevocao-.php?id=21

Relacionados aos seus interesses

0 comentários