Não basta rezar e ter fé


Jesus foi muito claro quando disse que não bastava rezar
para fazer parte do seu reino. Era preciso sua Palavra, era preciso
praticar. Não basta rezar e louvar a Deus.
Não basta ter fé. É preciso dar a vida pelo outro, assim como Jesus.
“É preciso descer
da cruz os crucificados”, disse um teólogo latino-americano.
É grande a semelhança entre a vida e a missão de Jesus
e a do cristão verdadeiro: “Como o Pai me enviou também
eu vos envio” (Jo 20,21), disse Ele. Ter a mesma missão de
Jesus revela toda a grandeza de um homem e de uma mulher,
dando-lhes valor e autoestima.
O homem de Deus não se conforma com a situação de
pecado, injustiça e exploração do homem pelo homem. Ele tem
desejo de mudança e de uma nova direção para a vida humana.
O cristão se compromete a dar a vida pelo reino, pelo plano de
Deus que transformará o mundo por meio da evangelização.
Todo aquele que leva uma vida santa é apóstolo e missionário.
Na história do cristianismo pessoas que eram consideradas pecadoras, como Maria Madalena e a samaritana do poço
de Jacó, também foram missionárias que ajudaram a propagar
a Boa-Nova aos pobres. O apóstolo Paulo, que fora perseguidor
de cristãos, também se encaixa nessa condição.
A história desses três personagens remete a um exemplo
de conversão que ainda acontece nos dias atuais. É o caso de
jovens drogados, muitas vezes perdidos, que se tornam discí-
pulos de Cristo.
Evangelizar é pregar o Evangelho para que haja mais
paz, justiça e amor no mundo. Sendo a humanidade santa e
pecadora, na caminhada com Jesus é possível fazer os milagres
de Deus.
Ser santo é, na expressão do monge italiano Carlos Carreto, “ser dom para Deus e ser dom (oferta) para os outros”.
Ou, nas palavras de Dom Bosco: “Deus nos colocou no mundo
para os homens”.
Há no homem a força de Deus que lhe permite realizar
coisas inacreditáveis, como vimos, em nosso tempo, acontecer
com Madre Teresa de Calcutá, Padre Pio, João Paulo II, Madre
Paulina e muitos outros homens e mulheres extraordinários,
simples e humildes, que viveram entre nós.
O cristão é muito semelhante aos outros homens, a diferença está em desejar um caminho diferente dos demais. Ele
busca os momentos especiais para estar com Deus na oração.
Além disso, é uma pessoa de ação, envolvida em projetos a
favor dos outros, e que evangeliza e mostra novas realidades em
trabalhos de religião, ação social, educação, política e outros.


You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante