Gesta Dei per Francos [A Gesta de Deus através dos Francos]






O beato Papa Urbano II pregou a primeira Cruzada
1. Urbano II: O Discurso em Clermont

Ao chegar a hora de cumprir o que Nosso Senhor ensina aos fiéis diariamente, especialmente no Evangelho: “Se alguém quiser vir após Mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me”, uma poderosa agitação tomou conta de toda a região da Gália.

A idéia era que, se alguém quisesse zelosamente seguir o Senhor, com coração e mente puros, e desejasse fielmente carregar sua cruz seguindo as Suas pegadas, não hesitaria em tomar o caminho do Santo Sepulcro.

E assim Urbano, Papa da Sé Romana, com seus arcebispos, bispos, abades e sacerdotes, tão logo puderam, puseram-se a caminho para além das montanhas e começaram a fazer sermões e a pregar com eloqüência, dizendo: “Aquele que quiser salvar sua alma não deve hesitar em pegar humildemente o caminho do Senhor, e se não tiver dinheiro suficiente, a misericórdia divina lhe dará o bastante”.

Então o senhor apostólico continuou: “Irmãos, devemos suportar muito sofrimento pelo Nome de Cristo ‒ miséria, pobreza, nudez, perseguição, necessidade, doença, fome, sede, e outros males deste tipo, como o Senhor disse a Seus discípulos: “Vós deveis sofrer muito por causa de Meu Nome” e “Não vos envergonheis de Me confessar diante dos homens; em verdade eu vos darei boca e sabedoria”, e, finalmente, “Grande será a vossa recompensa no Céu”.

E quando este discurso começava a repercutir fora, pouco a pouco, por todas as regiões da Gália, os Francos, após ouvirem tais relatos, imediatamente mandaram costurar cruzes sobre seu ombro direito, dizendo que seguiriam unanimemente os passos de Cristo, pelos quais tinham sido resgatados das garras do inferno.



Relacionados aos seus interesses

0 comentários