Sexualidade




Sexo vem da palavra latina “sexus” gênero. Estado de ser macho ou fêmea” relacionado a “secare” “ dividir, cortar”, pois ele define a raça humana em duas partes.


O homem foi modelado pelas mãos do criador (Gn 2,7) inclusive seus órgãos genitais. Cada parte de seu corpo é obra das mãos e da ternura de Deus. “É por isso que o homem se diferencia dos animais, como vai dizer “Aristóteles” “o homem é um animal racional”. Ao contrário dos animais o homem um animal “racional”. Diferente dos animais o homem é um ser que pensa, e pode refletir em suas ações.


Os animais somente se unem para a procriação; o ser humano com o uso da razão, se unem para a procriação e mais para fazer experiência do amor. O casal experimenta Deus também na sexualidade. Platão filósofo grego diz “a procriação e o nascimento, são coisas imortais num ser mortal”. O sexo no matrimonio constituído por Deus é sagrado, pois ele mesmo criou os seres humanos para se amarem e experimentarem também o amor de Deus. Por esta razão santo Agostinho vai afirmar” Quem não é espiritual até na carne, torna-se carnal ate em seu espírito”


A sagrada escritura não tem medo de falar de Deus apartir da sexualidade. O livro Cântico dos cânticos falando do amor entre os amados diz assim : “introduziu-me nos seus aposentos. Exultemos de alegria e de jubilo em ti. Tuas carícias nos inebriarão mais. que o vinho” (Ct 1,4) a sagrada escritura mostra o belo, da sexualidade; não uma sexualidade egoísta, apegada nos prazeres da carne, levando a uma imaturidade sexual. O primeiro livro bíblico tem seu nome derivado da mesma palavra que originou a palavra “genital” “Gênesis” e “genitais” são palavras irmãs, por que, quando falamos em gênesis, pensamos logo na ação criadora de Deu.


E quando falamos em genitais, pensamos em coisa baixa e feia? Como é difícil falar em pênis e vagina sem maliciar. Segundo especialistas, somente na língua portuguesa no Brasil são mais de 3 mil palavrões, e os campeões são apelidos dados aos órgãos genitais: 369 nomes diferentes para pênis; 299 para vagina, 232 para relação sexual, 215 para anus e 90 para nádegas. Essa é uma das razões que tornam o sexo banalizado. É preciso recuperar o conceito de sexualidade em sua origem ou seja na sua pureza com que foi criado.


Somos chamados por Deus a sermos casto. O que é a castidade? A castidade é a integração correta da sexualidade na pessoa de cada ser humano, a unidade interior do homem e da mulher em seu ser corporal e espiritual. A sagrada escritura é clara em dizer: “Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santidade “ (I Ts 4,7) poderíamos também dizer Deus não nos chamou para a impureza mas a castidade. A castidade nos orienta na escola do alto domínio, se não temos o domínio do nosso ser, somos arrastados as paixões desenfreadas, e nos tornamos escravos do pecado. Por isso a castidade nos torna livre para melhor compreender o nosso ser espiritual e corporal, Santo Agostinho falando sobre a castidade nos diz sobre a sua importância “ A castidade nos recompõe, reconduzindo-nos a esta unidade que tínhamos perdido, quando nos dispersamos na multiplicidade. “ o pecado original afetou a sexualidade do homem, com a vivência da castidade nos caminhamos pelo reto caminho de uma maturidade sexual. O auto domínio de si mesmo é um trabalho a longo prazo. Nunca de ser considerado definitivamente adquirido, supõe um esforço a ser retomado em todas as idades da vida (Catecismo nº 2342)

"pregação no Renascer em Candeias, Bahia 01/04/2012"


Ir.Trovão

Relacionados aos seus interesses

0 comentários