NOSSA SENHORA DAS CANDEIAS







No antigo engenho Pitanga, hoje Candeias, a 46 Km de Salvador, capital do Estado da Bahia, foi edificada, há mais de tres séculos, pequena ermida em honra a Nossa Senhora da Candelária. A antiga capelinha erguia-se no monte, no mesmo local do atual Santuário com a frente para o poente, de onde se descortina belíssimo panorama, inclusive por um pedaço de mar, longínquo.

Naquele tempo, a mata cercava a ermida e em seu redor havia pequenas casas. Pessoas piedosas construíram o engenho e a pequena ermida em terrenos pertencentes a Compainha de Jesus. Os Padres Jesuítas indenizaram estas benfeitorias, pagando sete mil cruzados, lavrando a escritura em 1° de julho de 1643.

Em 1760, o engenho e as terras foram postas em leilao e arrematadas na porta da Câmara Municipal de Salvador, pelo Coronel Jerônimo Queiroz, passando depois ao Senhor Manoel José de Teive Argolo. Nessa época, aconteceu a cura da menina cega. A notícia se espalha e de todos os lugares vinham romeiros para agradecer e pedir graças a Mae de Deus das Candeias (candeia é pequeno aparelho de iluminaçao, que se suspende por um prego, com recipiente de folha-de-flandres, barro ou outro material, abastecido com óleo, no qual se embebe uma torcida, e de uso em casas pobres. A citaçao Mae das Candeias, quer dizer, Mae das Luzes). A cidade cresceu e a pequena ermida sofreu mudanças e foi construída a Gruta dos Milagres. Com o tempo, a Capela transformou-se na Igreja Matriz de Nossa Senhora das Candeias e depois Santuário.

RESUMO HISTÓRICO

1641 - Nas terras de Pitanga, pertencentes aos Jesuítas, terceiros construíram uma capela e um engenho.
1643 - Os Jesuítas compraram aquelas benfeitorias por escritura, a Felipe de Almeida e sua mulher, Catarina de Andrade. Os compradores obrigavam-se a pagar dívidas dos ex-proprietários.
1757 - A “Relaçao da Freguesia de N. S. da Encarnaçao de Passé” confirma que os Jesuítas tinham um engenho e uma capela de N. S. das Candeias.
1760 - Após a expulsao dos Jesuítas, o engenho e suas terras sao arrematadas, em hasta pública, pelo Coronel Jerônimo Queiroz passando, após a morte desde e de sua mulher, ao inventariante Manoel José de Teive Argolo.
1872 - O Cônego Dom Romualdo Barroso classifica a igreja de ruína.
1881 - Informa José A. do Amaral; “A Capelinha é pequena e pobre, de modo que as cerimônias religiosas celebram-se na sacristia”. A maioria das casas do povoado era entao recobertas por palhas.

SITUAÇAO E AMBIENTE DO SANTUÁRIO

O Santuário de Nossa Senhora das Candeias está situada no bordo de um espigao, com sua fachada voltada para a Baía de Todos os Santos, de costas para a cidade. De seu adro se vislumbra as terras de Mataripe, Pitanga, Socorro, Monte e uma visao da Refinaria Landulpho Alves.

Sobre o tapete verde que recobre o massapé elevam-se as os prédios e aparelhos de manutençao da Petrobrás. O templo é envolvido por uma balaustrada. Neste espaço os romeiros costumam dar tres voltas, descalços, antes de banharem-se na Fonte dos Milagres, situada nas fraldas da colina.

A direita da igreja e mais recuada, está a Praça Pio XI. A cidade, que mantinha seu caráter pacato e tranqüilo até 1950, se transformou rapidamente com a exploraçao petrolífera.

Hoje, Candeias é uma cidade industrial, possuindo empresas de grande e médio porte, a exemplo da Dow Química, Metacril. Possui o Porto de Aratu para exportaçao dos produtos produzidos pelas indústrias do Centro Industrial de Aratu – área Norte e pelo Pólo Petroquímico de Camaçari e o Porto da FORD, para exportaçao dos seus veículos montados na unidade de Camaçari. Também se encontra em pleno funcionamento a Usina de Biodiesel da Petrobrás.

DESCRIÇAO DO SANTUÁRIO

O Santuário de N. S. das Candeias é uma Igreja de peregrinaçao. O atual edifício, reconstruído nos últimos anos do século XIX, apresentava até 1977, tres naves com cobertura sustentada por seis colunas com capitel composto.


As colunas internas foram substituídas por duas vigas de concreto, trabalhos financiados pela comunidade e Prefeitura local. A fachada principal foi modificada no final do século XIX. Está dividida por pilastras em tres partes.

O corpo central apresenta porta de acesso e tres janelas de coro todas com vergas em arco-pleno. Coroa a composiçao um frontao neoclássico. As atuais torres sineiras, atarracadas e recobertas de telhado de quatro águas, sao novas. Os demais vaos apresentam vergas abauladas.
Possuía a igreja, forro de madeira em gamela na nave e em abóbada abatida na capela-mor. O altar-mor é do início deste século e confeccionado em estuque.

Dentre as imagens, destacam-se as de Nossa Senhora das Candeias, Senhor do Bomfim, e Coraçao de Jesus. No altar-mor encontram-se pintados os quadros de Sao Francisco de Assis e Sao Maximiliano Maria Kolbe.


DADOS TIPOLÓGICOS

A Igreja é provavelmente do final do século XVIII, reconstruída nos últimos anos do século XIX. Sua planta primitiva era do tipo comum em igrejas matrizes e de irmandade daquele século, isto é, nave única com corredores laterais superpostos por tribunas. As janelas externas da galeria de tribunas ainda podem ser observadas nas fachadas laterais

Sua reconstruçao consistiu na transformaçao em igreja de tres naves e na criaçao de uma fachada neoclássica. É provável que estas obras tenham terminado em 1906, quando foi feito o atual altar.

RESTAURAÇOES E INTERVENÇOES REALIZADAS

1906 - Placa comemorativa existente na sacristia assinala a construçao do atual altar e embelezamento da capela-mor auspiciado por Austriciliano H. de Carvalho e sua mulher, Dona Adelaide de Carvalho.
1957/59 – É recuperado o forro de madeira na nave.
1977/78 – O Franciscano Frei Petrônio Cardoso, promoveu a “restauraçao” da igreja, levantando recursos da comunidade e Prefeitura local. Nesta oportunidade sao eliminadas seis colunas da nave e substituídos por duas vigas de concreto; refeito o telhado; eliminados dois altares laterais e forrada de gesso a nave e parte inferior do coro.
1980/82 - Frei Admar Colaço, ofm, com ajuda da comunidade e da Prefeitura local mudou o piso, recuperou o telhado e fez alteraçoes na Capela.
2007 – Frei Pedro Rogério Martins, OFM Conv., com ajuda da Prefeitura local, realizou obras no santuário, promovendo a reforma da iluminaçao interna, substituiçao do forro de madeira da área do altar e pintura geral do prédio.


A FONTE MILAGROSA


A capela de Candeias fazia parte da freguesia de Nossa Senhora da Encarnaçao de Passé. A pequena distancia da igreja, no sopé do monte, está a “fonte dos milagres”. Corre desde entao, entre o povo, esta piedosa lenda: Humilde ceguinha vinda do alto sertao acompanhada de seus pais e sob a inspiraçao da Virgem tivera ali uma visao da Mae de Deus, que lhe ordenara banhar-se naquela fonte, para recuperar a luz dos olhos. E aconteceu, exatamente como havia sido mandado. E o milagre se operou. A fama milagrosa de Nossa Senhora das Candeias espalhou-se daí por diante.

Antigamente, o transporte para Candeias era feito somente, em barcos ou em saveiros. Os que vinham do sertao faziam dezenas de léguas a cavalo ou a pé, enquanto outros se utilizavam de carros de bois. Apesar de dificuldades sem conta, as romarias eram constantes e numerosas.

Hoje o Santuário atrai a atençao de toda a Bahia Católica, e de estados vizinhos. A secular e milagrosa Imagem da Mae de Deus, tendo ao colo o Salvador do mundo, continua recebendo no trono de Candeias as homenagens de veneraçao e amor de milhares de romeiros vindos de toda parte, “COM FÉ IMPRESSIONANTE NO ATENDIMENTO FAVORÁVEL DE SUAS SUPLICAS”. E cada vez mais se torna celebre o Santuário, pelos milagres e graças alcançadas pela intercessao poderosa da Senhora das Luzes.

Já em 1971, o Senhor Arcebispo D. Manoel Joaquim da Silveira, concedia quarenta dias de indulgencias aos fieis que, visitando a capela de Nossa Senhora das Candeias, rezassem devotamente uma Ave-Maria em louvor do grande privilegio da Maternidade Divina da Santíssima Virgem.

ÁGUA MILAGROSA CURA CEGUEIRA DA MENINA STEPHANY

Rubenisse Souza Lima Dias, pertencente a igreja Batista, morou durante algum tempo em Candeias, depois se mudou para Vitória no Espírito Santo, onde nao viveu feliz, pois lá sua filha concebeu uma neta cega desenganada pelos médicos, dentre eles o renomado Dr. Márcio Nemmer de Belo Horizonte.

Rubenisse sofrendo muito, nao aceitava o que tinha ocorrido, até que um dia sonhou com Nossa Senhora das Candeias lhe pedindo que lavasse os olhos da neta com águas da sua Fonte Milagrosa, ela porem nao acreditava. Ao acordar nao se conteve e ligou para sua Mae Leontina de Souza Oliveira, moradora de Candeias, pedindo que levasse uma porçao da água da Fonte dos Milagres para a cidade de Vitória, e assim foi feito.

Tao logo a água chegou, cuidaram de lavar os olhos de Stephany e ao passar de alguns dias começaram a notar diferenças no olhar da menina e levaram-na de novo ao medico para exames e nada foi constatado. Na terceira visita ao médico e após a realizaçao de exames, a cura foi atestada, porque a criança atendeu um pedido da Mae que dependia da sua visao. Sua mae pedira que ela acompanhasse com a cabeça o movimento da sua mao, que empunhava um isqueiro aceso movimentando-o da direita pra a esquerda.

Rubenisse foi a procura do pastor da sua religiao (Igreja Batista) e este afirmou que a menina estava curada, graças as oraçoes da Igreja.

Depois, Rubenisse cumpriu sua promessa vindo a Candeias, apresentando sua neta em uma Missa, onde foi relatado o testemunho.

Hoje a criança é acompanhada por oftalmologistas renomados e sua avó, eternamente agradecida a Nossa Senhora das Candeias, tornou-se devota da Mae de Deus das Candeias. Isto se deu em Agosto de 2001.
Em 2007, a pequena Stephany, sua mae e sua avó, estiveram no Santuário para mais uma vez agradecer a Mae de Deus das Candeias e durante a celebraçao da Santa Missa, proclamaram através de testemunho, o milagre ocorrido.

You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante