conhecimento de ti mesmo






Santo Agostinho disse: “Eu não seria nada, meu Deus, absolutamente nada se não estivesses em mim”. A primeira atitude que temos que reconhecer é que sem Deus nós não somos nada. São Leão Magno nos fala o seguinte: “ Enquanto permanecemos mortais, nossa natureza é mutável. E ainda que atinja o mais alto grau de zelo na busca das virtudes, ela pode, entretanto, encontrar de novo, tanto uma ocasião de queda, como de crescimento”. 

Em uma experiência mística com Deus pai, Santa Catarina de Sena disse que Deus falou ao seu coração: “Conhecendo-te, tú te humilharás ao perceber que, por ti mesma, nada és”, Santa Tereza de Ávila escreveu: “ Aproveitemos das próprias faltas para conhecermos as nossas misérias”. Amados filhos e filhas da Igreja una santa católica Apostólica Romana, nem mesmo um adulto, deveria ter vergonha de sentar-se nas “cadeiras escolares” da vida. Nunca é tarde para aprender, aprendemos principalmente a nos conhecer. 


O livro imitação de Cristo está escrito: “ Não te avalies por melhor que os outros. Para que não sejas talvez tido por pior diante de Deus que sabe o que há no homem”, São João Crisóstomo não cansava de dizer: “ Não se desespereis! Digo-vos em todos os meus discursos, em cada uma das nossas conversas, e se me escutardes ficareis curados, a nossa salvação tem dois inimigos mortais: a presunção na inocência e o desespero depois da queda; mas até este último é de longe o mais terrível”. É preciso se conhecer para não desvalorizar a nossa alma por tão pouco.”O demônio ofereceu todos os reinos do mundo por uma só adoração” (Mt 4,8-9).

O Padre Antonio Vieira no seu sermão da Quaresma, sobre a tentação de Cristo disse: “ É possível que oferece o demônio um mundo, por um só pecado? É possível que não lhe pareça muito ao demônio, dar um mundo só por uma alma? Não; porque conhece, e
só quem conhece as coisas, as sabe avaliar, nós os homens, como nos governamos pelos sentidos corporais, e a nossa alma é espiritual, não a conhecemos; e como não à conhecemos, e por isso a damos tão barata. 

Porém o demônio, como é espírito, e a nossa alma também é espírito conhece muito bem o que ela é. E como a conhece, estima-a. E estima-a tanto, que do primeiro laço oferece por uma alma o mundo todo; porque vale mais uma alma, que todo o mundo”.

Através desta reflexão, que possamos nos conhecer mais para nos valorizar e também para vigiarmos a nossa conduta. São Jose Maria Escrivá disse: “ O conhecimento que nos faz melhores”.

Pax et Bonum

Relacionados aos seus interesses

0 comentários