Não é contra homens de carne e sangue que temos que lutar” (Ef 6,12)




         São Pedro questiona Jesus sobre a luta, e a renúncia de si mesmo, para seguir a Jesus Cristo: “Eis que deixamos tudo e te seguimos”, respondeu-lhe Jesus: “ Em verdade vos digo: ninguém há que tenha deixado casa ou irmãos ou irmãs, ou pai e mãe. Ou Filhos ou terras por causa do evangelho que não receba, já nesse século cem vezes mais casas com perseguições vindouro a vida eterna”(Mc 10,28-30). 

     Esta palavra com perseguições mostra a luta travada contra as forças do mal. São Tomas de Aquino escreveu: “ Para nos salvar devemos combater, e vencer”, A escritura nos atesta: “ Não é contra homens de carne e sangue que temos que lutar” (Ef 6,12). Não é contra homens de carne e sangue, que os olhos humanos enxergam. Mas, contra os espíritos espalhados nos ares, e estes só com olhos de águia para percebermos a sua atuação. 

        Não devemos lutar contra homens. Mas, pregar a palavra de Deus para eles se salvarem. Não é contra homens, mas a favor deles. Pela fé e obras que venceremos o mal. Está escrito: “ Meu filho se entrares no serviço de Deus, prepara a tua alma para a provação” (Eclo 2,1). Comentando esta passagem o Papa São Leão Magno escreveu:” Com efeito, este homem pleno de sabedoria de Deus, sabendo que o esforço religioso comporta duros combates, e prevendo as incertezas do combate sabe antecipadamente que será preciso combater: porque se o tentador atinge uma alma ignorante deve-se temer, que ele possa ferir mas rapidamente uma alma despreparada”.

         Filhos e filhas da Santa Igreja estamos certos que: “ Deus abre as janelas do céu, para nos abençoar. O inimigo abre as portas do inferno para nos intimidar”. Não é contra homens de carne e sangue.Mas, com o corpo e o sangue de Jesus Eucarístico que se vencemos o inimigo”. São Francisco de Sales fala que: “ A Missa é o sol da Igreja”, e as trevas na resistem a esta luz. A Sagrada escritura nos diz: “Vós sois a Luz do mundo” (Mt 5,14). Esta luz, resplandece toda as vezes que comungamos. Por isso São João o Teólogo do amor nos disse: “Se porém andamos na luz como ele mesmo esta na luz, temos comunhão recíproca uns com os outros. E o sangue de Jesus Cristo, seu filho purifica-nos de todo o pecado” (I Jo 1,7)

   São Paulo continua seu ensinamento sobre a Batalha espiritual e diz que nossa luta não é “Contra os principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso” (Ef 6,12), os que estão nos ares tenebrosos . Ou seja os demônios. Devem ser vencidos pelos queestão na terra, os homens de Deus. Iluminados pela graça de Deus,onde a luz dissipa as trevas e elas não resistem. Como já escrevi “assim como o oficio do sol, é sempre ir seguindo e perseguindo as trevas. E lançado-a fora deste mundo. Assim também são os Cristãos, aos inimigos da fé”. Estes espíritos que estão nos ares. Foram vencido pelo homem de carne e sangue, Jesus Cristo que venceu os demônios no ares; Quando foi crucificado. Pois não foi para o céu, nem ficou na terra, mas ficou suspenso nos ares, sobre o madeiro. Para a vencer o inimigo no seu próprio território (Lc 23,33; Cl 2,14-15).

Nesta batalha espiritual São Paulo nos orienta da seguinte forma: “Ficai alerta, à cintura cingida com a verdade, o corpo vestido com a couraça da justiça” (Ef 6,14) a palavra é clara “ficai alerta”. Isto significa: Atentamente, vigilante e no sentido de atenção. São Pedir ensina-nos: “ Sede sóbrios e vigiai, vosso adversário demônio, anda ao redor de vós como um leão que ruge, buscando a que devorar” (2 Pd 5,8) o inimigo ao mesmo tempo que ataca, se revela através de seus rugidos, é evidente o ataque do inimigo ao mesmo tempo que se ataca, se revela através dos suas manifestações malignas. São Mateus escreveu: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação. O espírito esta pronto. Mas, a carne é fraca”.(Mt 26,41). Por mais que sejamos vigilantes, firmes e fortes (2 Cor 16,13) estejamos certos que a graça de Deus nos sustenta. No livro dos Salmos esta escrito: “ Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalhar os que constroem. Se o Senhor não guarda a cidade debalde vigiam as sentinelas” (Sl 126,1). Amados filhos da Igreja a carta aos Efésios nos diz: “ Ficai alerta, à cintura cingida com a verdade” (Ef 6,14), o cinturão, posto em torno da cintura é necessário para apertar a armadura. Mas, também para sustentar as adagas. Espadas curtas ou quaisquer outras armas que pudessem ser ali penduradas. O apóstolo Paulo faz do exemplo do símbolo da “verdade”, o conhecimento da verdade liberta (Jo 8,32)”Para o bem de tua alma, não te envergonhes de dizer a verdade” (Eclo 9,24).

    Santo Agostinho disse:” A verdade é alimento da alma”, São Tomás de Aquino falava: “Levar os homens à verdade é o maior beneficio que se pode prestar aos outros”.Para a verdade a um único caminho, para a mentira milhares. Eles vem disfarçados como ovelhas. Mas, por dentro são lobos ferozes. Eles se disfarçam de apóstolos de Cristo (2 Cor 11,13) e perturbam o evangelho de Cristo (Gl 1,7). Santo Ináscio de Antioquia escreveu alertando contra estes cães: “Com efeito, são cães raivosos que mordem sorrateiramente. Atentos a eles, pois suas mordidas são difíceis de curar”. São Irineu dizia: “o erro, com efeito , não mostra tal como é, para não ficar  evidente ao ser descoberto”. 

Por isso se disfarçam como ovelhas, mas estão sempre prontos para morderem com suas mentiras. Nós da Fraternidade Combatentes na Fé temos que tampar a boca deste cães. Como São Paulo escreveu: “ É necessário tapar-lhes a boca; porque transtornam famílias inteiras , ensinando o que lhes convém. E isso por vil espírito de lucro” (Tt 1,11) cingimo-nos com a verdade e combateremos contra os erros. A verdade é a igreja , e o erro são as seitas. São Paulo escreveu:” E os pés calçados de prontidão para anunciar o evangelho da paz” (Ef 6,15), São Leão Magno comentou assim: “ Ele cingiu em torno dos nossos rins o cinto da castidade, calçou nossos pés com as correias da paz: um soldado será com efeito, facilmente vencido pelo instigador da impureza e aquele que não tem os pés calçados é facilmente mordido pela serpente”. É com os pés calçados de prontidão para anunciar o evangelho da paz que Deus, nos deu o poder para podermos pisar em: serpentes das discórdias e em escorpiões das mentiras (Lc 10,19). O salmo nos diz: “Sobre serpentes e víboras andarás, calcarás os pés do leão e o dragão” (Sl 90,13). 

Devemos anunciar este evangelho da paz como os apóstolos anunciavam. Em Atos dos Apóstolos vemos o relato: “ E todos ficaram cheios do Espírito Santo e anunciavam com intrepidez a palavra de Deus” (At 4,31), e digo mais: “ Como crerão naquele que não ouviram falar? E como ouvirão falar, se não houver quem pregue? ”(Rm 1,14). A respeito da pregação de Santo Agostinho dizia: “ Somos nos que falamos, mas é Cristo que nos instrui”. Nós temos a obrigação de pregar. Mas, é Deus quem converte os corações. São Paulo Continua: “ Sobretudo, embaraçai o escudo da fé. Com que possais apagar todos os dardos inflamados do maligno” (Ef 6,16). O escudo era um equipamento vital em uma guerra. Os romanos utilizavam dois tipos: um pequeno e redondo,e outro oval e comprido. Este ultimo é que o apóstolo esta se referindo, na armadura do Cristão. O escudo da fé é essencial para a batalha espiritual como está escrito: “ O justo vive pela fé” (Rm 1,17). Se tiveres fé como um grão de mostarda, direis a está montanha: transporta-te daqui para lá, e ela irá. “Nada para Deus é impossível” (Mt 17,20). 

 Santo Ambrósio de Milão respeita da Fé dizia: “Os milagres são para os incrédulos, fé é só para quem quer crer”. Na carta ao Hebreus diz: “A fé é uma certeza a respeito do que não se vê” (Hb 11,1),e é nesta fé que cremos. Na carta de São Paulo aos Efésios o Apóstolos nos diz a respeito dos “dardos inflamados do maligno” . Os dardos eram duplamente perigosos: eles feriam e queimavam. Assim é a língua da serpente, dupla e dividida ao meio com o poder de persuasão e de engano, não é a sem motivo que a bíblia nos fala, que ele é o “ pai da mentira” (Jo 8,44). 

Esta língua é como dardos que ferem e queimam os que não estão com o escudo da fé. E digo mais: na época do império romano quando acertavam, o escudo com os dardos inflamados. Inflamavam-se chamas, que poderiam até mesmo queimar o soldado. Por isso, este escudo era revestido de couro e molhado antes de cada batalha. Desse modo, quando os dardos inflamados eram lançados,nos inimigos, atingissem o escudo e fossem apagados.


          
 Da mesma forma quando em uma “Batalha espiritual” o nosso inimigo tenta nos abalar nossa fé com a chama de seus dardos de enganos. Precisamos estar com o escudo da fé em posição de combate e banhado com a água do “Espírito Santo” “Tomai enfim o capacete da salvação e a espada do Espírito, isto é a palavra de Deus” (Ef 6,17). São Leão Magno comenta esta passagem: “colocou sobre nossa cabeça o capacete da salvação e, em nossa mão a espada, isto é, a palavra da verdade: tal forma que o herói das lutas do Espírito não somente esta obrigado dos ferimentos.Como também pode ferir quem vem o atacar”. Por isso o profeta Davi disse: “Dou caça aos inimigos, e os alcanço e não volto. Sem que tenha aniquilado de tal sorte os despedaço, que não mais poderão levantar-se: eles ficam caídos aos meus pés” (Sl 17,38-39). Mesmo que os inimigos sejam tão numerosos como gafanhotos, e inumeráveis como a areia das praias (Jz 7,12) eles caíram a minha esquerda, e a minha direita. E não serei atingido (Sl 90,7). E mesmo que eu seja atingido, pelo pecado sete vezes eu me erguerei (Pr 24,16). E direi: “mesmo enfermo, sou guerreiro”(Jl 4,10). A sagrada escritura diz: “O capacete da salvação”, o verbo modifica-se a que era antes revesti-vos, agora é tomai. A armadura era colocada no chão e o soldado colocando peça por peça. Depois de tê-la vestido, seu escudeiro lhe dava o Capacete e a espada; por isto mostra que o homem recebe tais realidades a salvação e o espírito do próprio Deus, pois não pode tê-las com suas próprias forcas, são gratuitos. Não só a respeito da salvação. Mas, até de um bem.

Santo Agostinho dizia: “Não podem os homens fazer bem algum. Quer por pensamentos, quer por palavras ou obras, sem a graça”. É com a palavra da verdade que cortamos o mal pela raiz. Como São Paulo escreveu: Toda a escritura é inspirada por Deus” (2 Tm 3,16). E a sua leitura deve se lida em Deus, com Deus e para Deus. No livro imitação de Cristo diz” Toda a escritura santa há de ler com o mesmo espírito que foi ditada”. O que hoje acontece é a mal interpretação, dos hereges que lêem a bíblia sob o espirito da carne e não na ação do Espírito Santo de Deus. O que Santo Irineu escreveu é a mais pura verdade: “Tiveram a ousadia de interpretarem mal o que foi bem expresso”, Muito sábio foi o que o Padre Antonio Vieira disse: “ aos herege, como inimigo doméstico argumenta com o evangelho, e das palavras de Cristo forma armas contra o mesmo Cristo”.

Amados filhos da Santa Madre Igreja, a sagrada escritura é uma espada que corta, mas se não lida e entendida pelo Espírito Santo, que a interpreta através de sua verdadeira Igreja; esta espada pode ferir, e até mesmo matar uma alma. É por isso que a sagrada escritura diz:”Homens inspirados pelo Espírito Santo, falaram da parte de Deus”(2 Pd 1,21). Somente com este Espírito Santo é que podemos entender a bíblia. Santo Agostinho ensina-nos assim: “ Ao sair do sepulcro, o Cristo afasta a pedra que obstruía, a pedra da letra que: até então, criava obstáculos à inteligência espiritual, a pedra que profeticamente, ele já havia tirado do tumulo de Lazaro”.

 Ir.Trovão

You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante